Ao Vivo
Ao Vivo
101,3 FM
Love Time
00:00 as 02:00
Notícias
Notícias

O Grêmio enganou o Grêmio

Leia também sobre a Copa Unoesc de Handebol.

O Grêmio enganou o Grêmio

É sempre mais fácil e cômodo discorrer sobre o fato acontecido. Neste caso, ninguém erra. Todos são gênios, avaliadores infalíveis e julgadores implacáveis de quem concorreu para o fracasso por ter que decidir.

O Grêmio, neste momento, tem milhões de acusadores e meia dúzia de vilões. Todos ostentando virtuosos diagnósticos. O principal deles: o Grêmio deveria ter contratado no início do ano. É mesmo?

O fim da temporada passada, para o Grêmio, foi de euforia e celebrações. Após uma campanha desastrosa no primeiro turno do Brasileiro, veio Renato e a equipe arrancou para uma campanha inesquecível, a melhor entre todos os participantes do campeonato, no returno.

O time voava, patrolava os seus adversários. Jonas saiu, mas quem entrava no ataque resolvia. Lúcio se tornara um meia-esquerda excepcional, Gabriel jogava tanto que deveria ser chamada para a Seleção e Douglas era o armador dos sonhos de todos os gremistas.

O ano de 2010 acabou deixando a certeza de dias felizes na temporada seguinte. Nem a saída de Jonas requeria pressão para a contratação de um grande atacante.

Começou 2011 e o Grêmio lançou-se na empreitada da década: recontratar Ronaldinho. Durante várias semanas, o assunto predominou na imprensa e rodas esportivas. Ninguém falava sobre a necessidade de reforçar a equipe – para quê, se fora a melhor do returno do Brasileiro? – na torcida, entre dirigentes, cronistas esportivos, etc.

Ninguém, mas ninguém, mesmo, reivindicava reforços. O malogro das negociações prostrou o universo gremista em profundo estado de frustração. Mas, continuava existindo a ótima expectativa produzida pelo segundo semestre do ano passado. 

Veio o Gauchão e o desenrolar da competição regional indicava que o Grêmio levantaria a taça. A vitória sobre o Inter no Gre-Nal do Beira-Rio reforçava esta convicção.

O futebol, entretanto, nem sempre é lógico. O Inter preparou-se para decidir na casa do rival e, sob a orientação segura de Falcão, calou a torcida gremista e festejou o título no Olímpico.  A partir da decisão do Gauchão, vieram as contestações e apareceram os santos dos milagres acontecidos.

Renato foi enxotado do Olímpico e, de todos os cantos, brotaram acusações contra os dirigentes por não terem reforçado o time no início da temporada, necessidade que só foi descoberta por TODO O MUNDO após a perda do título regional.  Importar jogadores tornou-se, então, impossível, pois a janela internacional estava fechada.

E os “craques” nacionais custavam muito caro. Para piorar o quadro, Lúcio, Douglas e Gabriel afundaram e o time, com eles, foi a pique. Haveria outros casos de decadência técnica. Hoje, olhando pelo retrovisor do tempo, é imperioso reconhecer que o Grêmio foi enganado, sim, mas pelo próprio Grêmio.


Descoberta do ano: Inter depende de Damião

imageFaltou Leandro Damião, sem ele o Inter não conseguiu vencer o Atlético Goianiense. O time colorado, logo, é dependente de Damião.

Puxa, mas esta é a descoberta mais fenomenal do século! É claro que o Inter depende do seu mais valorizado produto, tão óbvio quanto não ter um substituto à altura, pronto. Quem tem? O Inter alinha atacantes promissores como Delatorre e Lucas Roggia.

Estes garotos, entretanto, precisam de tempo e sequência de jogos para que se ambientem ao mundo profissional e possam exercer todas as suas potencialidades. Jô, recém contratado, é outra opção, mas eu não recomendaria demasiadas expectativas.

Já era um atacante limitado quando jogava no Corinthians e a sua passagem pelo futebol europeu em nada recomenda. A realidade colorada está posta: Leandro Damião será vendido, agora ou em dezembro, é inevitável. Enquanto isso, o clube precisa preparar o seu substituto. É a única receita disponível


Copa Unoesc de Handebol

imageOs aficcionados pela modalidade de handebol estão convida à comparecer no dia 13 de agosto, um sábado, as 19h30, no Ginásio do Sesc em Chapecó, para prestigiar e torcer pela equipe da Unoesc Chapecí, na grande final da 1ª Copa Unoesc de Handebol, jogo que será disputado contra a equipe da Unoesc Joaçaba.

O ingresso será um kg de alimento (obrigatório) e uma peça de agasalho (opcional). Durante as próximas edições mais detalhes sobre essa partida.


Com a palavra, o nosso leitor!

Palmeirense, xanxerense e feliz!
image“Ola amigos! Meu nome é Leandro Busnello Moreira, nasci e cresci em Xanxerê e gostaria de dividir com os leitores do Folha Regional uma viagem e um sonho que realizei nos dias 26 e 27 de julho.  Estive em Florianópolis para assistir o jogo entre Figueirense e Palmeiras, realizadono dia 27 e válido pelo Campeonato Brasileiro.

Com muito sacrifício e ao mesmo tempo com êxito consegui realizar uma meta em minha vida que era assistir um jogo do Palmeiras e conhecer de perto os atletas, e o técnico Luiz Felupe Scolari – campeão do mundo, com o qual conversei por cerca de 15 minutos.

Felipão fez muitas perguntas, entre elas onde eu morava, e com muito orgulho falei da minha cidade de Xanxerê.  Além de Felipão, tive a oportunidade de tirar fotos ao lado de Kleber, Valdívia, Marcos Assunção, Cicinho, Dinei, Thiago Heleno, entre outros”.

Atenciosamente Leandro Busnello Moreira.

Nota da redação: Leandro é mais um xanxerense que entra na galeria dos famosos, e contou aos nossos leitores um pouco dessa sua grande aventura. Filho de xanxerense e amante do futebol, e realizou seu grande sonho. Parabéns Leandro.


Kukki Galvagni
Folha Regional