Poema de Gratidão
Publicado por: Andrey Evangelista dia 26/11/2018 as 14:51
Poema de Gratidão

Muito obrigado Senhor!
Muito obrigado por tudo o que o senhor me deu.
Muito obrigado por tudo o que o senhor me dá

Obrigado pelo pão, pela vida, pelo ar, pela paz.
Muito obrigado pela beleza que os meus olhos vêem no altar da natureza.
Olhos que fitam o céu, a terra e o mar
Que acompanham a ave ligeira que corre fagueira pelo céu de anil
E se detém na terra verde, salpicada de flores em tonalidades mil.

Muito obrigado Senhor!
Porque eu posso ver seu amor.
Mas diante da minha visão
Eu detecto cegos guiando-se na escuridão
que tropeçam na multidão
que choram na solidão.

Por eles eu oro e a ti imploro comiseração
porque eu sei que depois desta lida, na outra vida, eles também enxergarão!

Muito obrigado Senhor!
Pelos ouvidos meus que me foram dados por Deus.
Ouvidos que ouvem o tamborilar da chuva no telhado
A melodia do vento nos ramos do olmeiro
As lágrimas que vertem os olhos do mundo inteiro!

Ouvidos que ouvem a música do povo que desce do morro na praça a cantar.
A melodia dos imortais, que se houve uma vez e ninguém a esquece nunca mais!
A voz melodiosa, canora, melancólica do boiadeiro.
E a dor que geme e que chora no coração do mundo inteiro!

Pela minha alegria de ouvir, pelos surdos, eu te quero pedir
Porque eu sei
Que depois desta dor, no teu reino de amor, voltarão a sentir!

Obrigado pela minha voz
Mas também pela sua voz
Pela voz que canta
Que ama, que ensina, que alfabetiza,
Que trauteia uma canção
E que o Teu nome profere cheio de emoção!

Diante da minha melodia
Eu quero rogar pelos que sofrem.
Eles não cantam de noite, eles não falam de dia.
Oro por eles
Porque eu sei, que depois desta prova, na vida nova
Eles cantarão!

Obrigado Senhor!
Pelas minhas mãos
Mas também pelas mãos que aram
Que semeiam, que agasalham.
Mãos de ternura que libertam da amargura
Mãos que apertam mãos
De caridade, de solidariedade
Mãos dos adeuses
Que ficam feridas
Que enxugam lágrimas e dores sofridas!

Pelas mãos de sinfonias, de poesias, de cirurgias, de psicografias!
Pelas mãos que atendem a velhice
A dor
O desamor!
Pelas mãos que no seio embalam o corpo de um filho alheio sem receio!
E pelos pés que me levam a andar, sem reclamar!

Obrigado Senhor!
Porque me posso movimentar.
Diante do meu corpo perfeito
Eu te quero rogar
Porque eu vejo na Terra
Aleijados, amputados, decepados, paralisados, que se não podem movimentar.

Eu oro por eles
Porque eu sei, que depois desta expiação
Na outra vida
Eles também bailarão!

Obrigado por fim, pelo meu Lar.
É tão maravilhoso ter um lar!
Não é importante se este Lar é uma mansão, se é uma favela, uma tapera, um ninho, um grabato de dor, um bangalô, uma casa do caminho ou seja lá o que for.

Que dentro dele, exista a figura
do amor de mãe, ou de pai
De mulher ou de marido
De filho ou de irmão
A presença de um amigo
A companhia de um cão
Alguém que nos dê a mão!

Mas se eu a ninguém tiver para me amar
Nem um tecto para me agasalhar,
nem uma cama para me deitar
Nem aí reclamarei.
Pelo contrário, eu te direi

Obrigado Senhor!
Porque eu nasci!
Obrigado porque creio em ti
Pelo teu amor, obrigado senhor!

Poema de Gratidão - Amélia Rodrigues

Restaurante põe geladeira na calçada: comida pra quem não tem
Publicado por: Hanna dia 11/04/2016 as 10:25
Restaurante põe geladeira na calçada: comida pra quem não tem

A “Árvore da Bondade” ganha mais espaço no mundo.

Manu Pauline, dona do restaurante Pappadavada, em Kochi, Índia, colocou uma geladeira na calçada para que ela, seus clientes, funcionários e quem mais quiser possa colocar sobras de suas refeições.

Qualquer pessoa pode retirar a comida de lá, sem nenhum registro ou pagamento: é só abrir, escolher e levar.

Gente no lixo

A ideia de Pauline surgiu em uma noite enquanto fechava o restaurante. Como de costume, havia acabado de jogar fora uma montanha de sobras de comida – do próprio restaurante e de seus clientes.

Foi quando uma moradora de rua apareceu e começou a mexer nas latas de lixo em busca de comida.

A mulher contou que tinha acordado por causa de uma fome intensa. Chocada com a cena e com quantidade de desperdício do próprio restaurante, Pauline começou a pensar em formas de disponibilizar comida fácil para quem precisa, sem a necessidade de vasculhar o lixo.

Instalada no dia 23 de março, bem em frente ao restaurante, sob a sombra de uma grande árvore, a geladeira ganhou um nome: “Nanma maram”, que significa “Árvore da bondade”.

Sucesso

E o esquema de doação de sobras tem funcionado bem: por dia, de 70 a 100 porções são depositadas na geladeira – e todas são levadas em menos de dois dias.

Até agora, não se passou um dia sem que alguém passasse para pegar – ou deixar – comida.

A única exigência é feita para os doadores: é necessário escrever a data da doação no pacote, para evitar que os moradores de rua consumam alimentos velhos.

Desperdício

A mensagem que Pauline quer passar vai muito além da generosidade de dar comida a quem tem fome.

A dona do Pappadavada também quer chamar a atenção para o desperdício e para as soluções simples que acabam sendo ignoradas porque temos pressa, e porque simplesmente não pensamos nelas.

“O dinheiro é nosso, mas os recursos pertencem à sociedade e devem voltar para ela, diz Pauline.

Brasil

A ideia já existe no Brasil. Foi feita em Goiás.

Com informações da Superinteressante
Foto: Divulgação

Itália muda lei para incentivar empresas a doar alimentos
Publicado por: Hanna dia 11/04/2016 as 09:57
Itália muda lei para incentivar empresas a doar alimentos

A Itália está mudando as leis para se tornar o segundo País europeu a pressionar supermercados e outras empresas a doar alimentos não vendidos para organizações e grupos de ajuda humanitária.

As propostas pretendem reduzir de forma considerável o desperdício de comida.

Projetos vigentes no País já recuperam 600 milhões de toneladas de alimentos não utilizados por ano.


Contudo, os italianos ainda convivem com um assombroso número de 13 bilhões de toneladas desperdiçadas anualmente.

Grande parte dessa perda está associada à data de validade dos alimentos que são descartados mas ainda estão em condições de consumo.

As novas leis não pretendem, inicialmente, punir empresas que desperdiçam alimentos, mas sim oferecer incentivos para quem optar pela doação.

Estão na mira dos projetos os supermercados, restaurantes e bares, que poderão se inscrever e ganhar descontos nas taxas de coleta de lixo, por exemplo.

A iniciativa atende ao apelo de ativistas que pedem menos desperdício de comida em todos os países da União Européia

Europa sem desperdício

A França aprovou, no ano passado, uma lei que multa supermercados que jogarem fora alimentos ainda bons para o consumo, como mostrou o SóNotíciaBoa. Releia aqui.

Os ativistas franceses que pressionaram pela aprovação da lei pedem que projetos similares sejam aprovados em todas as nações da União Européia.

As iniciativas têm estimulado empresários de grandes redes alimentícias, que de forma voluntária já se comprometeram em doar alimentos não utilizados que ainda estejam em boas condições de consumo.

Com informações do GoodnewsNetwork
Foto: Harvey Barrison, CC

Travessa João Winckler 15 - Centro
(049) 3433-1110
(049) 3382-2750
Xanxerê, SC - 89820000